Olga Roriz – A casa das belas adormecidas

11 junho 2021

Sinopse

Em coprodução com o Teatro Aveirense e Município de Viana do Castelo Estreia a 15 e 16 de Maio de 2021.

A casa das belas adormecidas é um romance sobre a juventude e a velhice, a beleza e o erotismo, o desejo e as memórias. Abandonadas em camas, jovens mulheres nuas, intocadas e intocáveis, dormem profundamente sob o efeito de poderosos narcóticos deixando, sem o saber, que o seu corpo seja contemplado por homens idosos em busca de uma pobre consolação para a perda de juventude. Eguchi, de 67 anos, tem perfeita noção da proximidade da decadência física, e as noites passadas nesta casa do desejo levam-no a recordar a relação com as diferentes mulheres da sua vida, num entrelaçar de memórias e fantasias eróticas que culminam com a revelação da sua essência inumana.
Na introdução escrita por Mishima pode ler-se: A casa das belas adormecidas é um submarino no qual as pessoas são apanhadas numa ratoeira e o ar que respiram está a desaparecer gradualmente. Quando preso por esta história, o leitor sente-se aterrado e entontecido e aprende de imediato o terror do desejo estimulado pela aproximação da morte, O desejo prende-se inevitavelmente a fragmentos, e, sem nenhuma subjetividade, as próprias belas adormecidas são fragmentos de seres humanos avivando o desejo na sua maior intensidade.

Preço bilhetes

Plateia: 10€
Frisas e Camarotes: 8€

Local

Sala Principal do Teatro Municipal Sá de Miranda

Data

11 de junho 2021

Sessões

Sexta
21h00

Duração

60 minutos (aprox.)

Classificação Etária

M/6

Criação

Companhia Olga Roriz

Ficha Técnica

A definir