País das Canções de Embalar

13 – 15 maio 2021

Sinopse

Uma narradora e um pianista viajam perdidos pelo país das canções de embalar, contando histórias sobre histórias, entre elas a do nascimento e morte de Lila, um cão de água português. Em cena, está também alguém que age, e que por essa mesma razão, abre um jogo de imprevistos. Entre a personagem e o narrador, entre o autor do texto e o autor no texto, resulta um conflito e o narrador pode perder o controlo da linguagem.

O dispositivo cénico joga com as questões que se abrem na busca de uma identidade, quer seja a identidade de Vitor, de um país ou de um cão: E se a diferenciação entre eu e tu fosse impossível? E se a certeza e autenticidade de um “eu” já não se constituisse como problema?

Fechar os olhos e ver. Embalar o sono para se esquecer de si, para tecer uma rede de embalar em que repousam as palavras. Lugares de imaginação onde ecoam canções de embalar que evocam interrogações desconcertantes e espantosas. Por outro lado, é preciso não esquecer que uma canção de embalar, com as suas repetições hipnóticas, pode cristalizar-se numa canção moralizante e unívoca, adormecendo literalmente as consciências dos vivos, fazendo esquecer a violência.

Preço bilhetes

4 a 10€

Local

Sala Experimental do Teatro Municipal Sá de Miranda

Data

13 a 15 de maio 2021

Sessões

13 e 14 de maio
14h30

15 de maio
21h00

Duração

80 minutos (aprox.)

Classificação Etária

A Classificar pela CCE

Criação

Projeto Ariadne

Ficha Técnica

Direção Artística e Produção
Vânia Geraz

Criação
Vânia Geraz e Daniela Silva

Desenho de Luz
Ernesto Costa

Apoio à Conceção do Espaço Cénico
Ângela C.

Design Gráfico
Pedro Fonte

Interpretação
Daniela Silva e Vânia Geraz

Pianista
António Neves da Silva

Músicas
Melodia e letra

Vânia Geraz

Composição
António Neves da Silva

Coprodução
Teatro do Noroeste – CDV
Creta – Laboratório de Criação Teatral